049. Ir ao Eduardo das Conquilhas

domingo, janeiro 30, 2011

Estávamos em plena marginal, num belo dia de sol de inverno, à procura de uma esplanada para recarregar baterias. Ou como o T. diz para eu fazer fotossíntese, pois parece que com pouca fotossíntese o meu humor fica pouco recomendável. Mas eu, não faço ideia do que ele quer dizer com isso! Cof! Cof!

Mas adiante, lembrámo-nos que o Eduardo das Conquilhas estava no Bigode e que nada melhor que um belo marisquinho para nos lembrar do verão.
E para nós, esta é a melhor maneira de que riscar as 'coisas do Bigode': quando é espontâneo e, ainda, corre às 1000 maravilhas.



Bem mas vamos lá à comiduxa... que é o que interessa.
Quase que parecia mal ir ao Eduardo das Conquilhas pela primeira ver e não comer o que dá o nome à casa. Por isso, pedimos umas Conquilhas à Eduardo.
Enquanto esperávamos pelas conquilhas fomos debicando um fantástico salpicão caseiro e bebericando umas imperiais.
As conquilhas chegaram... E aquilo que tenho a dizer é que estavam Ó-P-T-I-M-A-S! Com um sabor a mar delicioso e um molho de comer e chorar por mais. Eram tudo o que esperava. Pareciam bocadinhos de verão e de mar em pequenas conchas! Uma delícia.



Mas enquanto comíamos as conquilhas, ouvi falar em pastéis de massa tenra. Coisa que adoro e que já nem me lembrava da última vez que tinha comido. E ali tinham ar de fazer uns pastéis divinais.
Ora bem dito, bem feito. Pedimos os 2 pastéis e quando o sr. nos disse que era só esperar pelo tempo de fritar, foi música para os meus ouvidos! Ia comer pastéis de massa tenra e acabadinhos de fazer! Uma visão divina!!
Esperei ansiosamente e mal olhei para eles sabia que iam ser bons!
E eram, eram óptimos. Daqueles de comer e chorar por mais.

Resumidamente, o Eduardo das Conquilhas recomenda-se e MUITO!
De certeza que vamos lá voltar muitas e muitas vezes.
Da próxima quero experimentar as ameijoas e a sapateira e o T. certamente vai querer provar os caranguejos do Alasca de que tanto gosta ("ouviste" mãe? estamos a contar contigo!).
E prometo que faço aqui o relatório! Ah, e se alguém quiser partilhar uma das viagens é só dizer!

Deixo-vos com um conselho do Eduardo, que é um óptimo conselho.



Só não se esqueçam de levar dinheirinho convosco, que no Eduardo não se aceitam cartões.

Correcção de Última Hora: Parece que afinal já tinha ido ao Eduardo das Conquilhas, quando era pequenina. Segundo a minha Mãe, talvez por volta dos meus 6 anos, depois de um dia de praia na linha com ela e umas amigas. Reza a história que ia cansada e ao colo de uma delas. Talvez por isso não me lembro de lá ter ido! Mas aqui fica a correcção.

Beijos bigodianos e um até breve,
Joana, a Dona do Bigode.

1 Comentários

  1. Dona do Bigode, não me convidou pelo que a jeito de birra vou fazer greve e não comentar!!
    bah!!
    ;)

    ResponderEliminar